Serenologia

O Homo sapiens serenissimus é a consciência, homem ou mulher, altamente evoluída, ainda precisando de ressoma, fulcro de serenidade operante, antiemotiva, expressando extrema tranquilidade, equilíbrio permanente, autodomínio e sustentação plena das energias com holomaturidade consciencial, autodiscernimento e cosmoética em tudo, com a cosmovisão máxima do Universo e da vida consciencial, multidimensional, continuada, vivendo no anomimato e prestando assistência interconsciencial por atacado do mais alto nível (Homo Sapiens Pacificus, p. 908). O Homo sapiens serenissimus ou serenão, é a consciência que se encontra no último estágio evolutivo antes de descartar seu psicossoma, e se tornar então Consciex Livre (CL). O serenão (ou serenona) já está em suas últimas vidas humanas no planeta Terra. O termo serenão é proveniente de ambientes extrafísicos evoluídos, utilizado por consciexes para se referir à essas consciências mais evoluídas, com paravisual de serenidade plena. Cada consciência é única, e possui traços de personalidade com graus diferentes de desenvolvimento. Os serenões já identificados possuem em comum algumas qualidades, ou megatrafores, que os caracterizam como modelo de evolução para as demais consciências que ainda precisam ressomar. Seguem seus principais megatrafores (ou maiores traços força) (HSP, p. 914):

  • Evolutividade. Nível evolutivo pessoal inconfundível, com intelectualidade e cosmoética acima da média.
  • Serenidade. Serenidade atuante, com personalidade antiemotiva, tranquila, reflexiva, anticonflitiva e contida (mas sem toxicidade ou repressões mórbidas).
  • Multidimensionalidade. Autoconscientização multidimensional contínua, com vivência simultânea entre múltiplas dimensões, de maneira universalista.
  • Bioenergética. Pleno autodomínio bioenergético, com emprego das próprias energias conscienciais (Ecs) de maneira carismática, defensiva, assistencial e terapêutica.
  • Catálise. Catálise do nível evolutivo das consciências ao seu redor, sem gerar defasagens mutiladoras ou prejudiciais aos seres humanos, atuante tanto na dimensão intrafísica quanto nas dimensões paratroposféricas (baratrosfera) da Terra.
  • Sustentabilidade. Sustentabilidade positiva (esteio consciencial) dos holopensenes à sua volta, harmonizando o ambiente humano no qual respira.
  • Assistencialidade. Assistencialidade avançada com aplicação de técnica de intervenção interconsciencial positiva, de maxifraternidade pura, a favor de todos.
  • Anonimato. Utilização do anonimato útil, evitando ser registrado pela história humana (camuflagem evolutiva), mantendo-se estritamente ignorado e desconhecido daqueles seres intrafísicos a quem assiste.
  • Maxifraternidade. Maxifraternidade com atuação intercontinental, se sobrepondo aos limites geográficos dos países.
  • Antibelicismo. Conduta antibelicista generalizada, de modo onipresente e multidimensional, o tempo todo.
  • Solidariedade. Solidariedade multidimensional às conscins e consciexes em todos os níveis deste planeta.

As tarefas assumidas pelos serenões possuem abrangência ampla e podem ser planejadas por centenas de anos antes de sua ressoma. São gênios evolutivos que não chamam a atenção e agem de maneira silenciosa. Os serenões são gigantes evolutivos que possuem a hábil e paradoxal habilidade de se ocultar entre anões. Nas dimensões extrafísicas não há como disfarçar a qualidade das energias de uma consciência, perante outras consciexes lúcidas. Ao que se sabe, intrafisicamente só se consegue encontrar um serenão(ona) e saber que ele(a) é um(a) serenão(ona), se ele(a) quiser. Ao que parece, é uma opção dele(a). Devido ao autodomínio do parapsiquismo, estima-se que o serenão perceba antecipadamente a intenção de qualquer consciência em se aproximar. Com o domínio sofisticado das suas bioenergias, ele poderia ocultá-las, de tal modo que não fossem percebidas intrafisicamente por outras conscins de menor nível evolutivo. Seu nível evolutivo torna suas energias muito próximas das energias imanentes, naturais, e por isso é capaz de influir em eventos naturais, se necessário. Encontrar um serenão parece ser situação muito mais rara do que encontrar celebridades humanas, nobelistas, estadistas ou pop stars. O anonimato do serenão se justifica para expandir a assistência ininterrupta prestada intra e extrafisicamente, evitando os holofotes da popularidade. Seguem algumas descrições e nomes atribuídos a alguns serenões já identificados no extrafísico, segundo experiências projetivas e parapsíquicas do Professor Waldo Vieira:

  • Australino: holopensene relacionado à Argentina; assistência à Antártida; Ilha de Páscoa; Malvinas e Cone Sul; fronteiras; antigas civilizações; cooperação efetiva na abertura do idioma espanhol para o mundo; reurbanização extrafísica de sítios antigos; antibelicismo. Em 2001 ainda estava na vida intrafísica, parecia não ter 50 anos de idade e vivia na região de Córdoba, na Argentina. Compleição vigorosa; moreno claro, tostado pelo Sol.
  • Ki-lin: holopensene relacionado à China; assistência às populações do Oriente, notadamente à população da China (em 2000); abertura da cultura chinesa para o mundo em futuro próximo; antibelicismo; no ano 2000 (quando ainda estava na vida intrafísica) aparentava uns 70 anos de idade; talhe delicado; olhos vivíssimos e cabelos brancos ralos. Dessomou em 2003.
  • Monja: holopensene relacionado à Espanha; assistência interdimensional e intercontinental; abertura do orientalismo; desconfrontação extrafísica; metodologia multidimensional; antibelicismo. Serenona mais íntima às atividades da Revolução Consciencial promovida pela Conscienciologia. Foi ela quem inspirou a criação do IIPC (primeira instituição conscienciocêntrica). Manifesta-se atualmente na vida extrafísica.
  • Reurbanizador: holopensene relacionado à Alemanha; promoção de reurbanizações extrafísicas; assistência aos órgãos internacionais de maxifraternismo, ONU, Unesco, união das 2 Alemanhas, queda do muro de Berlim, demografia europeia, Parlamento Europeu, Estado Europeu, União Europeia, euro; defesa da Ecologia ou promoção da Revolução Ambiental; antibelicismo. O mais potente dos serenões conhecidos. Está hoje na vida extrafísica. Tinha o soma desestruturado pela idiotia, deformado, oligofrênico, quando viveu na dimensão intrafísica, até 1990.
  • Esquimó: holopensene relacionado aos EUA; assistência às raízes norte-americanas, indígenas; assistência ao Pentágono e Washington. Vivia na região de Mountauk Bay, a região de Nova Iorque. Não se sabe se ainda está na vida intrafísica atualmente (2015).
  • Rosa dos Ventos: holopensene relacionado ao Brasil; assistência relacionada ao processo de placas tectônicas, na região de Natal. Aparentava ser uma fazendeira, com mais de 50 anos, muito simpática, com roupas feitas por tear, com energia de professora. Não se sabe se ainda está na vida intrafísica atualmente (2015).
  • Serenus: consciex que inspirou os iluministas e as consciexes comunicantes de Allan Kardec. Teve uma vida importante no império romano, tendo sido o médico polímata Quintos Serenus Sammonicus. Naquela vida possuía uma holoteca com aproximadamente 60.000 publicações.

Você já tinha ouvido falar dos serenões? O que pensa a respeito? O quanto esse conhecimento pode influenciar positivamente a nossa evolução?

    Facebook
    Twitter
    LinkedIn
    Pinterest

    Serenologia

    O Homo sapiens serenissimus é a consciência, homem ou mulher,...